Cantinho da poesia

Cantinho da Poesia do Leitor, Em Foco fevereiro, 2017

DIAS MELHORES

Tudo novo de novo.
Não creio, nada de novo há.
Há ano velho com grife nova
E ilusão do povo, de novo!
Engodo e grife nova,
Isso é o que há.

Dias de luta.
Vejo e ninguém a vê,
Escondida, nos escombros
Dos corpos cansados. Lá está
A Esperança, lá está ela, lá está,
Paciente e perseverante,
A esperar.

Dias melhores
Virão, com certeza
Eles estão por chegar, mas
Não será por alguns segundos
De fogos, brindes, beijos e branco
Que o estado das coisas vai mudar.
Ah, com certeza,
Não será!

Luiz Lopes

 

ELETRICIDADE

Você se aproxima, sorrateiramente,
e me diz palavras enfeitiçadas
Que caem em minha alma,
e a deixa por seu amor tomada…

Vem com uma beleza máscula
que o tempo amadureceu
mas que guarda tanto mistério
num olhar que muito viveu…

Vem dizendo que me ama
e me quer no seu leito de amor…
Toma o meu corpo e me beija
deixando-me totalmente ao seu dispor…

Como um vampiro de amor
bebe da minha emoção,
e juntos pela eternidade,
viveremos nesta paixão…

Penhah Castro

 

A DESCONHECIDA

Pudera eu imaginar um dia
Que tanta beleza o destino me traria
Presa em um irreal corpo humano
Pelo qual até Afrodite morreria.

Veneno que age de imediato
Intoxica-me com todo prazer
Inunda de alegria minha alma
Lava a tristeza do meu ser.

Mais forte que o brilho do Sol
Mais suave que uma flor ao luar
Em contos e fábulas épicas
Mais bela face não há

Nem mesmo os Românticos
Clássicos amantes da perfeição
Poderiam descrever tal figura
A que amo com meu coração!

Jorge Gomes

 

VÁ ATÉ ONDE NÃO PUDER MAIS IR

Dançava sobre os corações bordados no guardanapo
a força do impulso contra o sentimento concreto
o sorriso esculpindo a prece,
o afago, o fogo, a chuva, o vento, o mar e a atenção
é como deter um foguete com um laço de fita.

(Vá!) pode correr até onde quiser…
que seja, então, como uma algema
no contorno de um sopro quente, dos cabelos
debandando, ao tentar esquecer um punhado de gírias
(que calam teus lábios com um beijo até o fim).

(Vá…) pode correr até onde quiser…
até o pensamento duvidar, derreter
meando uma cachaça com o diabo,
que seja, então, como uma algema…
voando na vastidão do meu castelo.

Israel Lucas