Conto Carioca.

  • fevereiro, 2017. Metralhadora de “por quê?”

    Eu tinha medo de essa fase chegar, mas sei que seria inevitável. Sempre ouvi amigos […]

  • dezembro, 2016. Gertrudes

    Já tive muitas namoradas. De todas as profissões. Todas belas. Melhor dizendo, quase todas. A […]

  • novembro, 2016. Em briga de marido e mulher…

    Não tinha como não ouvir o papo do casal no ponto de ônibus. – Faço […]

  • outubro, 2016. O banco ocupado

    Ao entrar no metrô, sonolento ainda, o dia mal estava começando, notei algo de estranho […]

  • setembro, 2016. Mico olimpíco

    Olímpiada. Festa única do esporte. Os olhos do mundo se voltam para esse grandioso espetáculo. […]

  • agosto, 2016. Precipitação

    Boatos nos corredores dos ambientes de trabalho sempre têm um fio de veracidade. E na […]

  • julho, 2016. Oportunidade única

    É melhor se arrepender de algo que se fez, do que daquilo que se deixou […]

  • outubro, 2015. No elevador

    O elevador para no décimo primeiro andar. – Bom dia. – Bom dia. O senhor […]

  • setembro, 2015. Mulher no volante, perigo constante. Será?

    “Mulher no volante, perigo constante”. Ouço essa frase pelo menos uma vez ao dia. Todo […]

  • agosto, 2015. Salão de Beleza

    Não há lugar na face da Terra onde rola mais fofoca do que em um […]

  • julho, 2015. Cantada de engenheiro

    Ontem, estava caminhando até o mercado e, ao passar por uma obra, ouvi uma daquelas […]

  • junho, 2015. Pão pão, queijo queijo

    – Oi! Tudo bem? – Sim. – Você também está de férias? – Não. – […]

  • maio, 2015. Coelho manco

    Diante da crise econômica do país, o comércio anda de pernas bambas. As vendas despencaram […]

  • abril, 2015. De saco cheio

    Como os preços dos produtos no supermercado – não só nele, mas em tudo, como […]

  • março, 2015. O mundo para diante do Carnaval

    Carnaval. É impressionante como nessa época o povo esquece as coisas ruins que vêm acontecendo. […]

  • fevereiro, 2015. A quinta ondinha

    Mais um ano terminando, e um outro chegando. Não sei o porquê de as pessoas […]